Search
Close this search box.

Peritos e auxiliares da Polícia Científica são homenageados pelo Poder Legislativo

4/11/2019

Matéria publicada no site da Alep

“A polícia que produz a prova é uma das grandes repostáveis pela diminuição dos índices de criminalidade”, afirmou o perito criminal Hemerson Bertassoni Alves, ex-diretor da Polícia Científica do Paraná, na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), durante a sessão plenária desta segunda-feira (4). Em nome do órgão de Estado que completou 18 anos no dia 24 de outubro, ele exemplificou a declaração apresentando da tribuna aos parlamentares índices de diminuição de 10,8% no número de homicídios no Paraná neste ano em relação a 2018.

Um marco da atuação dos peritos criminais paranaenses ocorreu sobre o caso do assassinato da menina Rachel Genofre, que teve a solução anunciada em 2019, onze anos após o início das investigações. “Graças à rede integrada de bancos de perfis genéticos brasileiro”, explicou Bertassoni, que, como um dos gerentes do Laboratório Forense da Polícia Científica, assinou 140 dos 170 laudos de cruzamentos genéticos para chegar ao autor do crime.

“No imaginário da população ainda somos Polícia Civil, mas houve uma desvinculação, feita por esta Casa de Leis, em 2001. É importante mostrar nosso serviço, que atua paralelamente às polícias Civil e Militar”, completou. Bertassoni foi convidado a participar da sessão plenária pelos deputados Hussein Bakri (PSD), líder do governo na Assembleia e Tiago Amaral (PSB), vice-líder do Governo, que defenderam a continuidade dos esforços para reequipar a instituição.

“A Polícia Científica tem demandas por viaturas mais compatíveis com os serviços que prestam, como carros altos para atender a retirada de cadáveres em locais de difícil acesso”, afirmou Tiago Amaral. Sobre as dificuldades dos Institutos Médico Legais no Paraná, o deputado comentou a situação das unidades de dois: Londrina e Maringá. “Tivemos um grande avanço, com duas das melhores estruturas em nível nacional sendo construídas em cada uma dessas cidades polo”, falou.

Hussein Bakri afirmou que “é um orgulho o trabalho que a Polícia Científica faz. É importante dar luz a estes esforços e estender a mão para que continuem batalhando”. Ao final da explanação do perito Hermerson Bertassoni, o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ademar Traiano (PSDB), concedeu aos profissionais da Polícia Científica uma menção honrosa pelos serviços prestados à população do estado.

Polícia Científica – Fundamental para resolução de crimes, o trabalho dos agentes é associado aos crimes de grande repercussão e de difícil solução. O profissional fornece provas materiais para processos judiciais na área criminal, ao analisar os vestígios do local do crime, e fornece provas para delegado, promotor, advogados e juiz.

No Paraná, são 354 peritos e 127 auxiliares de perícia, que trabalham nos institutos Médico Legal e de Criminalística do estado, e atuam nos mais diversos casos, como acidentes de trânsito com vítimas, identificação de veículos, exames de balística, análise de imagens e vídeos, exames laboratoriais e químicos, ocorrências com explosões, incêndio, desabamento, e contra o patrimônio.

crédito foto Orlando Kissner/Alep

Obrigado por ler nosso artigo

Quando Tiago Amaral dá a sua palavra está garantindo que trabalhará incansavelmente para atender aquela demanda.

Novidades

Vem pro Face do Tiago

Último vídeo

Acompanhe o Tiago no seu E-mail

ocê gostaria de receber dicas, novidades e conteúdos exclusivos do Tiago no seu e-mail? Então, inscreva-se na newsletter dele e não perca nada! É fácil e rápido, basta clicar no botão abaixo e preencher o formulário. Você vai receber um e-mail de confirmação e pronto, você já faz parte da lista de assinantes do Tiago. Aproveite!