Search
Close this search box.

Professores pedem manutenção do ensino de espanhol na grade curricular do Paraná

18/12/2019

Em uma reunião realizada a pedido do deputado Tiago Amaral, vice-líder do governo na Assembleia Legislativa, nessa terça-feira (17), diversos representantes de diferentes instituições públicas paranaenses e a Associação de Professores de Espanhol do Estado do Paraná (APEEPR) apresentaram ao Secretário de Educação do Estado, Renato Feder, um documento que propõe a obrigatoriedade do ensino da Língua Espanhola nas escolas de Ensino Fundamental e Médio do Paraná.

Atualmente, apenas 61 escolas do Paraná ofertam o ensino do Espanhol no currículo, número que representa menos de 3% das escolas paranaenses. Essas escolas receberam, no dia 19 de setembro, o Oficio Circular nº 108/2019, da Secretária de Educação do Paraná, que orientava a substituição das aulas de Espanhol pelas de Inglês e abertura de turmas de CELEM (Centro de Línguas Estrangeiras Modernas) para a oferta do idioma, o que deixará diversos professores de espanhol sem empregos e os alunos sem acesso à matéria.

O CELEM (Centro de Línguas Estrangeiras Modernas) é um programa do Governo do Estado que oferta o ensino gratuito de idiomas nas escolas públicas do estado. Entretanto, como afirma o documento produzido pelos docentes de diversas universidades públicas paranaenses e APEEPR, “a oferta do CELEM ocorre no contraturno, inviabilizando o acesso da maioria dos alunos que, por diversas razões, não podem comparecer à escola em horário diferente do estabelecido para o ensino regular, a retirada do Espanhol da grade implica diretamente na perda de um direito”.

No documento os professores pedem a não retirada do ensino da Língua Espanhola das 61 escolas citadas, a manutenção da oferta desse idioma no CELEM, e ainda propõem uma PEC (Proposta de Emenda à Constituição) para obrigatoriedade do ensino de Espanhol no currículo do Ensino Fundamental e Médio em todas as escolas do Paraná. “Com isso, nossos alunos terão acesso a um ensino trilíngue, o que abre diversas portas para os jovens e para o nosso estado. O Paraná faz fronteira com países de língua espanhola, não podemos privar os alunos desse aprendizado”, afirma Amábile Piacentine Drogui, docente do curso de Letras Espanhol da UNESPAR.

Outros estados do Brasil já garantem por lei a oferta obrigatória do Espanhol na grade curricular, como é o caso do Rio Grande do Sul, Paraíba e Rondônia, de acordo com o documento. Para conseguir incluir a disciplina nos horários normais, a solução apresentada pelos professores é a inclusão da 6º aula em dois dias da semana.

Durante a reunião, o Diretor Pedagógico da Secretaria da Educação do Paraná, Raph Gomes Alves, mostrou a impossibilidade de inclusão da 6º aula para 2020 por causa do planejamento já previsto para os horários do transporte escolar. “Se a gente ofertar a 6º aula teremos um problema de participação dos alunos. Os alunos que dependem de transporte escolar não poderiam participar”. A inclusão, então, só seria possível nas escolas em que os alunos não dependem dos ônibus escolares.

A solução apresentada pelo Secretário da Educação para tentar manter as aulas de Espanhol, é a inclusão da matéria na grade curricular gradativamente a partir de 2021, ano em que a carga horária do Ensino Médio passará de 800 horas para 1000 horas.

Participaram da reunião o secretário de educação do Paraná, Renato Feder, os professores Amábile Piacentine, docente do curso de Letras Espanhol da UNESPAR, Hellen Gonçalves, docente de língua espanhola do IFPR, Isabel Cristina Jasinski, docente do curso de Letras Espanhol da UFPR, Jefferson Januário dos Santos, docente do curso de letras espanhol da UEL, Melissa Andres Freitas, docente do curso de letras espanhol da UEPG, Glenda Cáceres, docente do curso letras espanhol da UFPR, e Marlene Garozzi, assessora parlamentar do deputado Tiago Amaral. A professora Jacicarla Souza da Silva, docente do curso de Letras Espanhol da UEL, que contribuiu para a construção da proposta apresentada à SEED, não pode comparecer nesta reunião.

No dia seguinte à reunião (19), a Secretaria de Estado da Educação publicou, em seu site, o Comunicado: oferta de Língua Espanhola 

A Secretaria de Estado da Educação e do Esporte (Seed) informa que, devido à obrigatoriedade da disciplina de Língua Inglesa na grade curricular do Ensino Fundamental e Ensino Médio, conforme estabelecido na Lei Federal 9.394/96, a disciplina de Língua Espanhola será ofertada no âmbito do Celem (Centro de Línguas Estrangeiras Modernas) em 2020.

Após reunião entre o secretário Renato Feder e o diretor de Educação, Raph Gomes, professores de espanhol atuantes em universidades e escolas e membros da Associação de Professores de Espanhol do Estado do Paraná, a Seed se comprometeu a estudar a inserção gradativa da disciplina de Língua Espanhola na matriz curricular, atendendo às diretrizes do Novo Ensino Médio, a partir de 2021.

proposta entregue ao sec Renato Feder

Obrigado por ler nosso artigo

Quando Tiago Amaral dá a sua palavra está garantindo que trabalhará incansavelmente para atender aquela demanda.

Novidades

Vem pro Face do Tiago

Último vídeo

Acompanhe o Tiago no seu E-mail

ocê gostaria de receber dicas, novidades e conteúdos exclusivos do Tiago no seu e-mail? Então, inscreva-se na newsletter dele e não perca nada! É fácil e rápido, basta clicar no botão abaixo e preencher o formulário. Você vai receber um e-mail de confirmação e pronto, você já faz parte da lista de assinantes do Tiago. Aproveite!